cover

Afinal, como ser
um empreendedor?

Conversamos com uma especialista sobre o assunto.
author
Nathalia Marques

Ter um propósito, ajudar pessoas, ser dono do próprio negócio, é o sonho de milhares de pessoas. Só que tirar isso do mundo das ideias nem sempre é tão fácil e os riscos são muitos. Por isso, estar preparado é o caminho mais seguro e uma maneira viável de fazer isso é saber como ser um empreendedor.

Afinal, a maioria das pessoas não foram ensinadas a seFguir este caminho. Justamente por isso é uma jornada que envolve o aprendizado de novos conhecimentos e a aquisição de habilidades específicas para que o negócio consiga prosperar.

Empreender não é uma corrida de 100 metros. É uma maratona e para isso é necessário se preparar para enfrentar a jornada.

 — Alice Sosnowski

Para aprofundar o assunto e ajudar nossos leitores na jornada empreendedora, conversamos com a Alice Sosnowski. Ela é jornalista, empreendedora, autora do livro “Empreendedorismo para Leigos”, consultora de negócios e agora, professora da LABA Brasil.

Confira abaixo como foi nosso bate-papo!

LABA Brasil: O que é, de fato, ser um empreendedor?

Alice Sosnowski: Empreendedor é aquele que realiza desejos. Ele vê um problema na sociedade e encontra uma forma de solucionar esse problema, ou seja, ele resolve problemas, necessidades e consegue transformar isso em um produto que pode ser vendido para outras pessoas.

L.B: Quais são as habilidades necessárias para ser um empreendedor?

A.S.: Ser empreendedor exige habilidades muito específicas, como ousadia, foco, disposição ao risco, vontade de resolver problemas e de compartilhar soluções. Tem que ter uma capacidade de inovação, de reinvenção e, principalmente, uma resiliência e persistência muito grande.

, иконка 1

Acesse  todo o conteúdo da LABA Brasil em uma única palataforma. Entrevistas, estudos de caso, hacks  do mundo corporativo - tudo na nossa página no Facebook. Junte-se a nós!

L.B: Segundo o Sebrae, 60% das pequenas e médias empresas fecham com menos de 5 anos. Na sua opinião, a falta de uma atitude empreendedora pode ser um dos motivos para este fato?

A.S.: O Brasil é um dos países mais empreendedores do mundo. No entanto, as pesquisas do Sebrae mostram que mais de 60% das empresas fecham em menos de cinco anos. Por quê? Porque falta planejamento, capacitação e cultura empreendedora.

O espírito empreendedor permite se planejar e as pessoas precisam se preparar. Empreender não é uma corrida de 100 metros. É uma maratona e, para isso, é necessário se preparar para enfrentar a jornada.

L.B: Atualmente, quais são os principais desafios que os empreendedores brasileiros precisam enfrentar?

A.S.: Nós temos muitas pesquisas hoje sobre o empreendedorismo. No Brasil, por exemplo, temos o Sebrae, que analisa o ambiente empreendedor há muitos anos. Também temos várias pesquisas internacionais, como o GEM Global Entrepreneurship Monitor.

Muitas pesquisas apresentam dados sobre o ambiente empreendedor e elas falam sobre a escassez de inovação, de cultura empreendedora, de capacitação, falta de financiamento, investimento, de políticas públicas etc.

Ou seja, há uma série de fatores, mas eu estou no setor há 13 anos e atuei em várias áreas, como empreendedora, como jornalista entrevistando empreendedores do Brasil inteiro, como consultora e mentora de negócios e como juíza em competições de empreendedorismo.

Enfim, eu sempre digo que uma das coisas que são importantes, para o empreendedor conseguir vencer nesta área, é o autoconhecimento porque ele passa por muitos problemas, obstáculos e precisa se reinventar o tempo inteiro.

Sendo assim, o autoconhecimento é uma ferramenta fundamental para conseguir atuar na área. O empreendedor vai passar por altos e baixos e, tanto no fracasso como no sucesso, é necessário saber lidar com esses momentos.

Eu sempre falo para os meus alunos: invista em autoconhecimento, nas suas habilidades empreendedoras, na resiliência, ousadia e na sua inteligência emocional, pois, com toda certeza, você conseguirá atuar melhor neste mercado.

L.B: Alice, você ministrará um curso de empreendedorismo aqui na LABA Brasil. Ele é indicado para quem?

A.S.: O curso que vou ministrar na LABA é bem completo e objetivo.

Ele serve tanto para o empreendedor, que está começando a carreira e precisando entender os meandros do empreendedorismo, dos negócios e da nova economia, como também para os empreendedores, que já estão muitos anos no mercado e precisam se reciclar e entender melhor a jornada empreendedora.

L.B: Quais conteúdos os alunos vão aprender durante o curso?

A.S.: O curso de empreendedorismo é formado por 16 aulas, nas quais os alunos vão aprender desde o perfil empreendedor e habilidades necessárias até como começar um processo, modelo de negócio, marketing, vendas e como vender uma ideia em um bom pitch.

L.B: Um dos temas abordados durante o curso será a nova economia. Você poderia explicar um pouco mais sobre do que se trata o conceito?

A.S.: Vivemos em uma era exponencial. Tudo mudou muito rápido. Com advento do rádio e da TV, as coisas eram mais devagar.

De repente a internet potencializou tudo. Em poucos anos vimos uma transformação digital, ou seja, hoje fazemos tudo pelo celular e há economia compartilhada. Você consegue pegar um Uber, em vez de ter um carro, você usa o Airbnb, tem aplicativos de banco no celular.

Ou seja, tudo se transformou muito rápido. Isso é a nova economia e nela não adianta trabalhar das formas antigas. O trabalho também se transforma e aí o empreendedorismo também entra como uma opção de carreira muito interessante.

Além disso, é até importante para quem é funcionário de empresas porque você tem que ter um comportamento empreendedor.

Você tem que ver problemas, encontrar soluções, transformar essas soluções em negócios vendáveis e que as pessoas estejam dispostas a pagar por isso. Essa é a nova economia, na qual cada um tem que ser dono, protagonista da sua própria carreira.

L.B: Diante disso, podemos dizer que a tecnologia favorece a nova economia e possibilita novas oportunidades para o empreendedor?

A.S.: A tecnologia tem um papel fundamental nesta virada da economia e nesta transformação que estamos vivendo. Os especialistas dizem que nós não estamos vivendo uma era de mudanças, mas, sim, uma verdadeira mudança de era.

Desta forma, a tecnologia é muito importante, ela potencializa e deixa tudo exponencial. Contudo, o ser humano, em última instância, é quem vai protagonizar, empreender e trazer soluções para a sociedade.

L.B: Para finalizar, você poderia indicar alguns livros que foram muito importantes durante a sua jornada inicial como empreendedora?

A.S.: Para quem está começando a empreender e também para quem está há muito tempo neste mercado, o conhecimento é muito importante. O empreendedor, antes de tudo, é um bom aprendiz.

Ele está sempre com a antena aberta e com curiosidade para aprender sobre tudo que está em volta dele porque é justamente ali que ele vai encontrar os insights para começar negócios.

Para indicar alguns livros, eu não posso deixar de citar o meu livro “Empreendedorismo para Leigos”, que lancei recentemente.

É um livro que reúne minha experiência de 13 anos de mercado e onde eu coloco não só práticas, mas teorias que eu fui estudando e aprendendo ao longo dos anos.

É um livro indicado tanto para quem quer começar quanto para quem quer aprofundar o conhecimento empreendedor.

No meu livro eu indico outros que me ensinaram também sobre a jornada empreendedora, como o livro “Vai que dá”, do Joaquim Castanheira, que conta a história de empreendedores brasileiros; o livro “Sonho Grande”, da Cristiane Correa, que conta a história do Jorge Paulo Lemann.

Também indico o livro “O Empreendedorismo - elabore seu plano de negócio e faça a diferença”, do Marcelo Nakagawa, um dos maiores especialistas em empreendedorismo do Brasil.

Há outros clássicos do empreendedorismo também, como “O Segredo de Luíza”, do Fernando Dolabela. Além disso, eu recomendo muito os livros que tratam da cultura de empreendedorismo do Vale do Silício, como “Startup Enxuta” e os livros do autor Steve Blank, que é um dos maiores autores da nova economia.

Além de todos esses livros, recomendo ver conteúdos no YouTube, pois há milhares de fontes de informações confiáveis para quem quer estudar.

Agora que você já sabe quais são os conhecimentos necessário sobre como ser um empreendedor, que tal continuar estudando o assunto? Leia a entrevista com a Bruna Tavares sobre como empreender com sucesso.

Últimas postagens
mail
Assine e receba o melhor da LABA
photo

Alice Salvo Sosnowski

Curso
Empreendedorismo: passo a passo
07 outubro - 29 novembro
  • liderança
  • processo de criação do negócio
  • BMG
  • finanças, vendas e pitch
inscreva-se